junho de 2017 | Edição 676
clique p/ampliar
24 horas de testes constantes
Phoenix, no estado de Arizona, é uma terra de enormes shopping malls, longos e largos quarteirões e drive-throughs para tudo, de cinemas ao ar livre a hotéis e motéis, revendas de veículos (na maior parte das vezes grandes picapes). Curiosamente vê os carros autônomos com muita simpatia técnica, o que tem levado a GM, a Uber e a Waymo (Google) a levar seus carros autônomos para testes em suas ruas e estradas.

Para Phoenix isso é ótimo e duas vezes melhor ainda para Waymo. Hoje já com mais de cinco milhões de quilômetros rodados em seus carros autônomos, a Google tem um programa chamado Early Rider (primeiros caronas) aberto para centenas de residentes locais, de garotos de colégio a sérios sêniors. O objetivo é descobrir o que pessoas comuns (não engenheiros) acham dos carros autônomos, como, quando e onde devem usá-los e quantas informações querem receber sobre eles.

Carros de marcas GM, Lyft, BMW e nada menos de 500 Chrysler Pacific minivans já estão no programa Early Rider.
Enquanto isso, os sistemas Google Assistant e o Amazon Alexa já estão disponíveis em qualquer novo Mercedes 2016 ou 2017 nos Estados Unidos. Seus donos poderão dar partida, travar e destravar suas portas, dar partida e seu motor e controlar seu sistema de navegação com um simples “OK Google”, ou “Alexa, você pode ...”