março de 2019 | Edição 716
clique p/ampliar
A volta do cobalto
Em 2018 o preço do cobalto chegou a US$ 95.000 por tonelada métrica – quase 300% a mais do que dois anos antes. Hoje, este metal está sendo vendido a quase US$ 36.500, ou 60% mais barato. E, pior, não há minas suficientes para suprir seu mercado.

Apareceram então os carros elétricos, precisando de 314.000 toneladas só para suas baterias e encontrando apenas 120.000, porque celulares, computadores, laptops, relógios, automóveis, caminhões, ônibus, trens, barcos, aviões e satélites circulam a Terra dependendo daquele metal. E preços que estão chegando perto dos US$ 100.

O cobalto, porém, não é necessariamente raro: quase todo ele está localizado em minas na República Democrática do Congo, onde se encontra mais de 50% de sua existência e produção. Este país africano, porém, vive às turras com montanhas de problemas (direitos humanos, trabalho infantil e tantos outros) que frequentemente impedem uma mínima produção.