outubro de 2019 | Edição 726
clique p/ampliar
Sian: o hibrido da Lamborghini
O Lamborghini Sián (pronuncia-se: “Shaan”), que foi lançado no Salão de Automóveis de Frankfurt, Alemanha, deste ano, é o primeiro veículo hibrido baseado em supercapacitores. Um e-motor de 48-V (Volts) de 34 hp é incorporado na caixa de mudanças para respostas imediatas. Esta é uma aplicação onde um híbrido de baixa tensão tem uma conecção direta entre o motor elétrico e as rodas. O Sián não poderá andar apenas com uma força elétrica.

O nome Sián, em dialeto Bolognesi,
significa “relâmpago”. No Sián, a Lamborghini combina com um maciço motor V12 que incorpora válvulas de admissão de titânio, e desenvolve 785 hp à 8.500 rpm. Combinado com os 34 hp dos sistema hibrido, o Sián desenvolve um total de 819 hp e atinge máxima de 350 Km/h.

Enquanto uma bateria comum pode lidar com 2.000 a 3.000 ciclos de carga/descarga, os supercapacitores podem idealmente durar milhões de ciclos carga/descarga sem degradação. Isso porque não há mudanças químicas ou físicas quando uma carga está armazenada. Por outro lado, os capacitores não tem a capacidade de armazenamento de energia das baterias. Assim, eles não armazenam a mesma quantidade de potência como uma bateria do mesmo tamanho físico.

Conforme desenvolvido pelo Sián, o arranjo de supercapacitores é três vezes mais leve do que a bateria de mesma potência. O sistema elétrico com o supercapacitor e o e-motor pesam apenas 34 Kg, dando portanto, uma relação peso/potencia de 1,0 Kg/hp. Um fluxo simétrico de potencia garante a mesma eficiência nos ciclos carga/descarga.

Localizado na parede de fogo, entre a cabine e o motor, ele também permite a distribuição favorável de peso veicular.

“A Lamborghini é uma quebradora de regras, uma desafiadora, sempre mudando o que é possível quando se procura uma solução melhor”, diz Maurizio Reggiani engenheiro chefe. “Com o Sián, estamos definindo nosso caminho de inovação e estabelecendo novas regras em novas tecnologias, em vez de apenas seguir soluções existentes. Resultado é o Lamborghini Sián, que inclui a primeira aplicação mundial de um supercapacitor para hibridização.”

O Lamborghini Sián incorpora um novo sistema regenerativo de frenagem, uma tecnologia que recaptura a energia cinética perdida como calor quando um carro desacelera e o transforma em eletricidade. Graças ao comportamento do supercapacitor, que ao contrário de baterias de lítio, pode ser carregado e descarregado com a mesma potencia, o sistema de armazenamento de energia do Sián fica totalmente carregado quando o veículo freia.

Usando a energia essencialmente gratuita dos freios do carro no sistema elétrico ajuda a colocar o carro em movimento. A energia armazenada fornece um aumento de potencia instantaneamente disponível, permitindo que o piloto faça uso imediato do torque aumentado ao acelerar, até os 130 Km/h, quando o e-motor automaticamente desconecta.

O sistema elétrico do Sián é pequeno para economizar peso (baterias são mais pesadas que capacitores) e são desenhadas para cenários de assistência de potencia e não como um motor híbrido. Ele entrega aceleração rápida em marcha baixa com força de tração ampliada pela combinação do motor V12 e o sistema híbrido. A força de tração é aumentada por até 10% em terceira marcha e o tempo de aceleração de 30 à 60 km/h é melhorado em 0,2 segundo em comparação com Lamborghini Aventador SVJ.

Em marchas mais altas, o motor elétrico amplia sua força de tração em até 20%, reduzindo a aceleração de 70 a 120 km/h em 1,2 segundo, mais uma vez comparada com a Aventador. Isso torna o Sián o Lamborghini de aceleração mais rápida, fazendo 0 – 100 km/h em menos de 2,8 segundos.

Apenas 63 Sián serão fabricados e todos eles já foram comprados à um preço de 3,6 milhões de dólares.